20 de out de 2011

AS TENTAÇÕES DIÁRIAS

...será que ser tentado é pecado?



Olá pessoal, tudo bem? Depois de uma semana cá estou novamente. Hoje quero falar um pouco sobre as tentações que sofremos diariamente.

Mateus 4.1: "Então Jesus foi conduzido pelo Espírito ao deserto para ser tentado".
Quero começar falando do nosso Mestre Jesus. Temos este relato sobre sua tentação, porém entendemos que essa não foi a única vez em que o diabo o tentou. Em toda a sua vida ele foi tentado a abandonar a obra de Deus, o caminho que Ele tinha que trilhar. No Evangelho de Lucas 4.13 está escrito: "Terminando o diabo a sua tentação, ausentou-se Dele por algum tempo". Jesus, como homem que era, tinha que ser tentado para se identificar com a nossa natureza, para saber pelo que passamos, pois até então, antes de vir pra terra, Ele nunca tinha sido tentado. Ele vivia em comunhão na eternidade com o Pai e o Espírito Santo.
Mas o diferencial na vida de Jesus foi que Ele não cedeu às tentações. Alguns diriam que porque Ele tinha a sua natureza divina, Ele não caiu em tentação. Mas não podemos resumir a resistência de Jesus à tentação por causa da sua divindade. A tentação foi real, teve sua importância na vida Dele, mas Ele estava fortalecido no Espírito, esse foi o diferencial.
Alguns também excluiriam a natureza divina de Jesus, dizendo que Ele foi somente homem pelo motivo de ter sido tentado. Deus não pode ser tentado, Jesus foi tentado, logo Jesus não era Deus, mas simplesmente um ser humano. Este pensamento também está errado. Jesus era 100% homem, mas também era 100% divino, pois do lugar de onde Ele veio, Ele compartilhava da mesma essência do Pai e do Espírito Santo. Portanto, Jesus era e é essencialmente divino.
Mas como ele pôde ser tentado sendo essencialmente divino? A natureza humana de Jesus possibilitou a sua tentação e foi como homem que Ele resistiu a elas. Numa futura ocasião explanarei mais esse assunto das duas naturezas de Cristo. Por enquanto, vamos nos ater a isso.
Fato é, Ele foi tentado e resistiu. Por esse motivo e por outros, Jesus foi considerado como um segundo Adão, em contraste com o primeiro que foi tentado e falhou. (Romanos 5.12-21)
"Por um homem entrou o pecado no mundo, por outro a graça" versículo 1.
Pois bem, sabendo agora que Jesus Cristo venceu o pecado, vamos para o próximo passo, as nossas tentações.
Quem aqui nunca se sentiu compelido a fazer algo de errado? Quem aqui nunca ficou irado com alguém? Essas coisas acontecem diariamente em nossas vidas, geralmente quando alguém é sem-educação conosco, quando discutimos com alguém. Para os jovens temos a questão da sexualidade, tanto para os meninos quanto para as meninas. Tudo isso e muito mais.
Alguns poderiam dizer: Mas ficar irado já não é um pecado? Nem sempre. A Bíblia diz: "Irai-vos, mas não pequeis" (Efésios 4.26) O problema é quando a gente fica irado e continua remoendo e remoendo até que isso se torne realmente um pecado. Imagine só, alguém te prejudica de alguma forma, alguém manchou o seu nome e você descobre. O natural de todo o ser humano é ficar irado. Isso não significa que você vá fazer justiça com as próprias mãos. O certo é entregar nas mãos de Deus e deixar Ele cuidar. Até Jesus se irou quando estavam fazendo comércio na casa de Deus.
Muitas pessoas se sentem mal por serem tentados ou provados e ficam na deprê dizendo: Meu Deus, como eu pude pensar uma coisa dessas, como isso pôde passar pela minha cabeça? Mesmo porque algumas vezes somos acostumados com a confissão positiva. Ex: Estou sendo tentado na área sexual e eu vou falar com alguém sobre isso, ou até mesmo com um líder na igreja, e a pessoa me responde: Que é isso irmão? Isso não pode, declara que em Jesus você é mais do que vencedor, declara e pensa positivo.
Isso me faz pensar, será que ser tentado é pecado? Talvez a pessoa só quis compartilhar uma dificuldade e buscar ajuda em oração de um irmão e foi reprimida de certa forma.
As nossas tentações geralmente passam por nossa mente antes de se tornar uma atitude; quando não, ela vem por alguma coisa que enche os nossos olhos, depois passa pela nossa mente e se não cuidarmos, ela se torna em pecado.
Fato é, quando formos tentado, sempre pensaremos nisso por algum tempo.
Existem duas saídas para a tentação:
A primeira é a gente ceder a ela. Com certeza se cedermos a nossa tentação ela vai se tornar em pecado e, por algum tempo ela se afastará de nós.
A segunda saída é buscar a Deus. Foi essa a atitude de Jesus e Ele teve sucesso nela. Por algum tempo estaremos livres da tentação e ela não se tornará em pecado se assim fizermos freqüentemente.
Veja bem, se eu ceder à tentação eu vou satisfazer a minha carne, e a minha mente terá alívio dessa tentação. Se eu resistir, vou satisfazer a Deus e minha mente também terá um alívio. Mas nos dois casos, mais cedo ou mais tarde, a tentação vai voltar. Então qual saída devo escolher? Vou satisfazer minha carne ou a Deus?
Se eu satisfazer minha carne, eu perco a sensibilidade da presença de Deus, perco minha paz e os direitos de ser chamado de filho de Deus. É o caminho mais fácil, mas quem disse que o mais fácil seria o correto. Resistir às tentações é coisa pra macho! E pra macha também, rsrs. Escolher o caminho certo é doloroso, porém mais gratificante.
Precisamos estar firmes com Deus quando essas tentações vierem assim como Jesus esteve, desta forma conseguiremos vencer.
Mas é preciso lembrar que nós nunca deixaremos de ser tentados. "Terminando o diabo a sua tentação, ausentou-se Dele por algum tempo".  Essas palavras se referem a Jesus, porém se elas um dia se referiram a Ele, quem dirá a nós! Se Ele sendo o Rei dos reis foi tentado a vida toda, imagine nós, que somos simples seres humanos.
E como eu disse no post passado e reforço neste, algumas vezes nós vamos cair em tentações, algumas vezes nós vamos fazer escolhas erradas, pois somos carne, somos frágeis. Mas nada disso é o suficiente para afastar a graça de Deus das nossas vidas, pois Jesus entende o que passamos e Ele intercede por nós perante o Pai.
Isso me faz lembrar o apóstolo Paulo falando sobre o espinho na carne em 2ª Coríntios 12.7-9. Paulo chegou a orar por três vezes ao Senhor pedindo que lhe fosse tirada essa fraqueza, porém a resposta de Deus a ele foi: “A minha graça te basta” versículo 9.
Pra finalizar podemos pensar. Será que a graça de Deus tem bastado em nossas vidas? Ou estamos nos culpando por simplesmente sermos tentados? Vamos refletir nisso.
Que Deus abençoe vocês e até a próxima...

Nenhum comentário:

Postar um comentário